◄ Arquidiocese de Belém - Região Episcopal São João Batista - Paroquia Divina Misericórdia - Comunidades: Nª S. do Carmo - Nª S. do Perpetuo Socorro - Santa Luzia - Santa Rita - São José Operario - Cristo Redentor - Nucleos de Evangelização:Santissima Trindade - São Pedro - Santo Antonio - ►

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Dedicação da catedral da diocese de Castanhal



   Diocese sob o governo de Dom Carlos Verzeletti inaugura no domingo a igreja maior, depois de seis anos. Proclamação é uma forma de agradecer pela glória do Senhor sobre as 31 paróquias diocesanas. Cardeal vem do Vaticano para a celebração.
  Vinte e sete de fevereiro de 2011. Uma data histórica para os católicos da Diocese de Santa Maria Mãe de Deus, com sede em Castanhal. Afinal, não é comum termos a chance de testemunhar um acontecimento tão significativo quanto a dedicação de uma Catedral. Os que irão vivenciar este grande dia com certeza não o esquecerão facilmente. Porém, para se preparar esse momento é necessário compreender o que simboliza a dedicação do templo a Deus. Dedicar igrejas é um rito antigo que significa "proclamar solenemente".
É o momento em que o povo rende graças à Santíssima Trindade por ter um lugar onde é possível encontrar a glória do Senhor. A oração de dedicação tem o objetivo de indicar que a igreja é realmente de Deus, sendo oferecida a Ele. Para Santo Agostinho, "nós não erigimos altares aos mártires para oferecer-lhes sacrifícios, mas ao Deus único, Deus dos mártires e nosso".
Assim, a Catedral é convertida em casa de Deus, não formada de pedras, mas de pessoas. É um "" "templo vivo". O Papa João Paulo II, por ocasião da consagração da Catedral de Almudena, na Espanha, afirmou que "vemos a figura e contemplamos a realidade: vemos o templo e contemplamos a Igreja. Olhamos o edifício e penetramos no mistério. Porque este edifício nos revela, com beleza de seus símbolos, o mistério de Cristo e de sua Igreja. E olhando para nós mesmos podemos dizer com São Paulo: "Sois o edifício de Deus... O templo de Deus é santo: esse templo são vocês (1Cor 3, 9.17).".



PREPARAÇÃO
Para que os fiéis diocesanos se preparem espiritualmente para o dia da dedicação, um subsídio de nove encontros foi preparado. Pequenos grupos espalhados pelas 31 paróquias que constituem a Diocese de Santa Maria Mãe de Deus se reúnem para meditar sobre a dedicação da Catedral, seu significado, sentido e importância. Dom Carlos Verzeletti, bispo diocesano, explica que "são pessoas que estão lendo, estudando, refletindo, rezando. Todas as pastorais tiveram oportunidade de refletir sobre a missão própria da Igreja e como a Igreja deve corresponder também aos anseios de Nosso Senhor Jesus Cristo". De 21 a 24, das 19h30 às 20h15, na Catedral, quatro noites de retiro espiritual também ajudaram na preparação dos católicos de 25 municípios.
Em Salinas, a coordenadora do Setor Juventude, Joziane Lisboa, afirma está ansiosa para "viver o momento". "Estamos nos preparando e compreendendo que nós fazemos parte desta construção da Catedral. A Catedral é formada pelo seu povo, que deve está em sintonia com ela. Com os encontros estamos conhecendo os momentos que iremos ver no dia da dedicação". Sessenta salinenses participarão da celebração.
Para Dom Carlos, "a Igreja de Castanhal, que é a noiva, olha para o seu amado, seu Senhor, que é Jesus Cristo. Em lugar de a noiva olhar para si, queremos que nestes últimos dias a Igreja olhe para Jesus Cristo. Nós entendemos o que somos como Igreja quando, olhando para Jesus, descobrimos quanto é grande seu amor por nós, que somos a sua Igreja. Nós temos uma visão bonita da Igreja quando a olhamos com o olhar de Jesus e, olhando para Ele, olhamos para o nosso ser Igreja". 

Templo guardará relíquias de grandes santos católicos
 
 A celebração da dedicação no domingo, 27, tem início fora da Catedral, que estará com as portas fechadas, quando um representante de todos os operários da construção do templo entregará ao Cardeal Giovanni Battisti Ré as chaves da porta da igreja, como o resultado do trabalho coletivo. O purpurado pedirá, então, ao bispo que abra as portas para que o povo entre. A igreja e o povo serão aspergidos com água benta.
Após a homilia, haverá uma procissão com relíquias de santos, que serão colocadas e seladas dentro do altar. Os restos mortais são de Santo Inácio de Loyola, fundador dos padres jesuítas, os primeiros missionários da região amazônica; de Santa Teresinha do Menino Jesus, para representantar a Escola de Evangelização dos Missionários; de Santa Angela Merici, padroeira da terra natal do bispo de Castanhal, Dom Carlos Verzeletti, Bréscia (Itália), cuja diocese ajudou significativamente na construção do templo; de São João Bosco, como símbolo do zelo e amor com a juventude; de Madre Teresa de Calcutá, trazida da Índia por uma irmã missionária da Bem-Aventurada Madre Teresa de Calcutá; além de uma lasca de pedra da Casa de Nazaré, onde a Sagrada Família morou na Galileia. Além disso, um documento assinado pelos bispos presentes na celebração e uma moeda serão colocados junto às relíquias. Em seguida, é feita a oração de dedicação da Catedral, com a invocação de todos os santos na proclamação da ladainha.
Dom Carlos explica que "a única coisa que recebe uma atenção especial é o altar. Ele será ungido, incensado. O celebrante vai ungir, com o óleo do crisma, o altar, porque o altar é Cristo, que quer dizer ungido. Após a unção, as doze cruzes, colocadas nas colunas que representam os doze apóstolos da Igreja, também são ungidas. Se esta Igreja está alicerçada na pedra fundamental que é Cristo, ela está alicerçada nos doze apóstolos, por isso se unge as doze colunas".
"Depois, entra um tacho cheio de fogo, que é colocado no altar, onde é derramado um incenso. Com o turíbulo, vamos incensar as doze colunas e o povo. Então veremos a iluminação do altar porque Cristo é a luz que ilumina, ilumina a Igreja e é a iluminação da própria Igreja. São acesas doze velas onde tem as doze cruzes. Depois é iluminada a Catedral toda", disse o bispo.
Após o rito litúrgico, são colocados os paramentos do altar, como toalha e flores. Ao término do momento da comunhão, a cripta, local onde fica o Santíssimo, será abençoada. Assim como o memorial, uma placa de ferro contendo os dados históricos da construção da Catedral, também será abençoado ao fim da celebração. Para as pessoas que irão assistir à dedicação fora da Catedral, na Praça dos Doze Apóstolos, haverá dois telões e cadeiras para cinco mil pessoas. Além de transmissão ao vivo pela TV Nazaré e Rádio Nazaré FM. 
Vejá tudo isso e muito mais no jornal "Voz de Nazaré" que esta avenda em todas as celebraçoes da paroquia São Lucas Evangelista, atraves do grupo dos coroinhas.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Modificaçoes Na coordenação

  Nova Responsavel pela Limpeza!

   Em reunião extraordinaria realizada na noite do dia 23/02/2011, foi escolhida a nova responsavel pelo setor da limpeza do grupo dos coroinhas da paroquia são Lucas evangelista. A nova coordenadora da limpeza foi indicada pelo, apartir de agora ex-coordenador, Fernando Cezar Duarte , e passou pela acariação dos demais coordenadores que ao final da reunião votaram e elegeram por unanimidade a senhorita: ELIZABTH CORREA LEAL.
Elizabeth, tem agora o principal dever de prezar pela limpeza da sacristia, dos materiais liturgicos, do presbiterio, e das vestes dos coroinhas. Para realizar tal servisso, Elizabeth tem a sob seu comando 7coroinhas pre-escalados todos os sabados, Alem de poder utilizar o caixa dos coroinhas para adquirir os materiais necessarios para a limpeza.



  Elizabeth iniciou sua vida pastoral no grupo da catequese, sendo catequista durante 2anos. Incentivada por seus amigos e familiares, ela engressou no grupo dos coroinhas no ano de 2010 na mesma turma do então coordenador: Leonardo Branco. "Betinha" como é chamada pelos demais coroinhas, sempre se mostrou esforçada nas atividades da paroquia e do grupo. Um levantamento realizado pela coordenação sobre os coroinhas que faltaram escala do mês de fevereiro, mostrou que ela foi a unica servidora que não teve aumenos uma falta sejá ela na limpeza, reunião, e escala.
  


 Sua posse deve ocorrer no proximo sabado dia 26/02 antes da espiritualidade mensal dos servidores. Segundo a coordenação, Elizabeth vai assinar simbolicamente a ata de reunião do grupo, e depois será aplaudida pelo restante do grupo e pelos pais dos servidores que estaram presentes em função da espiritualidade.





quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Ordenaçoes Diaconais 2011

   Vejá a agenda completa das ordenaçoes diaconais 2011.


FONTE: Catedral Metropolitana de Belém

Nota de Repudio


Os coroinhas da paroquia são Lucas evangelista, se manifesta sobre o triste acontecimento que foi registrado pelas lentes de uma camera, onde mostra o prefeito da cidade de Manaus o senhor AMAZONINO MENDES, usando de termos totalmente ofensivos para com uma paraense que se encontrava residindo em uma area de risco na cidade de Manaus. Queremos deixar bem claro que repudiamos qualquer comportamento de natureza racista pós isso vai contra a todos os principios e deveres de um cristao,e que consideramos a atitude do prefeito AMAZONINO MENDES como hipocrita.
  

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Escola de cerimoniarios (EACE) 2011


    Aconteceu neste fim de semana (19 e 20.02.22) a abertura da IV Escola Arquidiocesana de Cerimoniários, que teve como programação inicial a palestra de abertura proferida pelo       Reverendo Padre Wiremberg José Silva (Diretor Espiritual Arquidiocesano dos Servidores do Altar), na qual foi abordado o tema "Mistério Pascal de Cristo".                                                       
   No domingo (20.02),  houve a palestra com o tema: "Introdução a Liturgia - O que é liturgia?" - ministrada pelo coordenador Arquidiocesano dos Servidores do Altar, Mario Ribeiro, foi            realizado ainda um teste para avaliar o grau de conhecimento dos participantes da IV edição    da EACE e poder verificar as dificuldades que precisam ser trabalhadas.                                      
  Palestra Inaugural (19.02.11 - Sábado):                   
 Pe. Ronaldo Menezes - Pároco da Paróquia da Santíssima Trindade - acolhendo os Servidores do Altar.
 Pe. Wiremberg Silva (Palestrante)
Benção Final

1º Encontro (20.02.11 -Domingo)                                                                                                       
 Mario Ribeiro (Palestrante)

Representantes da Reg. Episcopal São Vicente de Paulo
Os coroinhas da paroquia são Lucas, não estao na imagem pós precisaram sair assim que o curso acabou, para não perder a cessao  das 12:00hs do cinema que fica no shoping Patio Belem. 
 Representantes da Reg. Episcopal Santa Cruz
Representantes da Reg. Episcopal São João Batista

FONTE: blog arquidiocesano dos coroinhas.
http://servaltar-belem.blogspot.com/                                                                                                       

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Cerimonial dos Bispos - Parte I

      Iniciaremos uma serie de postagens sobre o "Cerimonial dos Bispos", no intuito de esclarecer as diversas duvidas de nossos leitores sobre a liturgia da igrejá catolica.
 ACOLITO:

27. O acólito, no ministério do altar, tem funções próprias que ele mesmo deve exercer, ainda que estejam presentes outros ministros de ordem superior.
28. Com efeito, o acólito é instituído para ajudar o diácono e ministrar ao sacerdote. O seu serviço, portanto, é cuidar do altar, ajudar o diácono e o sacerdote nas ações litúrgicas, principalmente na celebração da Missa. Também lhe pertence, como ministro extraordinário, distribuir a sagrada comunhão, segundo as normas do direito.
Quando for mister, ensinará aqueles que exercem algum ministério nas ações litúrgicas, seja os que levam o livro, a cruz, as velas, o turíbulo, seja os que exercem outras funções semelhantes. Entretanto, nas celebrações a que preside o Bispo, convém escolher acólitos devidamente instruídos para exercerem o seu ministério; e, se forem muitos, distribuirão esses ministérios entre si.

29. Para mais dignamente exercer as funções, deve o acólito participar da sagrada Eucaristia cada dia com mais fervor e piedade, alimentar-se dela e adquirir a respeito dela um conhecimento cada vez mais elevado.
Empenhe-se em penetrar o sentido íntimo e espiritual das ações que realiza, de modo que todos os dias se ofereça inteiramente a Deus e se entregue com sincero amor ao Corpo místico de Cristo, quer dizer, ao povo de Deus, cuidando principalmente dos fracos e dos enfermos.

  MESTRE DE CERIMÔNIA:

34. Para que uma celebração, mormente quando presidida pelo Bispo, brilhe pelo decoro, simplicidade e ordem, é preciso um mestre de cerimônias, que a prepare e dirija, em íntima colaboração com o Bispo e demais pessoas que têm por ofício coordenar as diferentes partes da mesma celebração, sobretudo no aspecto pastoral.
O mestre de cerimônias deve ser perfeito conhecedor da sagrada liturgia, sua história e natureza, suas leis e preceitos. Mas deve ao mesmo tempo ser versado em matéria pastoral, para saber como devem ser organizadas as celebrações, quer no sentido de fomentar a participação frutuosa do povo, quer no de promover o decoro das mesmas.
Procure que se observem as leis das celebrações sagradas, de acordo com o seu verdadeiro espírito, bem como as legítimas tradições da Igreja particular que forem de utilidade pastoral.
35. Deve, em tempo oportuno, combinar com os cantores, assistentes, ministros celebrantes tudo o que cada um tem a fazer e a dizer. Porém, dentro da própria celebração, deve agir com suma discrição, não fale sem necessidade; não ocupe o lugar dos diáconos ou dos assistentes, pondo-se ao lado do celebrante; tudo, 
numa palavra, execute com piedade, paciência e diligência.                                                                              
36. O mestre de cerimônias apresenta-se revestido de alva ou veste talar e sobrepeliz. No caso de estar investido na ordem de diácono, pode, dentro da celebração, vestir a dalmática e as restantes vestes próprias  da sua ordem.                                                                                                                                                 

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Novo bispo Auxiliar e Manchete no"Voz de Nazaré"

 


     O padre africano Teodoro Mendes Tavares, de 47 anos, tem larga experiência pastoral na Amazônia. Preocupado com questões ambientais e dogmáticas, o escolhido por Bento XVI afirma que é preciso cultivar o sentimento de fraternidade na Igreja.
Jovem e com um vasto currículo acadêmico, o novo Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém é também o primeiro presbítero africano nomeado para o episcopado em toda a história da Igreja no Brasil. Padre Teodoro Mendes Tavares nasceu em Cabo Verde, onde se fala português, e será sagrado bispo aos 47 anos. Em suas primeiras palavras após o anúncio oficial, o sacerdote destacou a surpresa pela nomeação. “Não estava esperando algo assim, fiquei agraciado e com o sentimento de responsabilidade muito grande. Pela fé e disponibilidade missionária, eu aceito este pedido”, disse.
Segundo padre Teodoro ainda não está definido as suas atividades em Belém, porém, ele chega com uma só intenção: servir. “Estou aqui para servir a Igreja e colaborar com Dom Alberto. Vamos trabalhar juntos e unidos, espero aprender muito com ele e com todos que integram esta família”. 
O novo bispo fala, ainda, sobre seu carinho e respeito pela população amazônica, com a qual conviveu até o ano passado. Ele atuou na prelazia de Tefé, no Amazonas, por 17 anos. “A Amazônia representa muito, pelo território, pelo povo e com a graça de Deus levaremos a missão à frente. Naturalmente que as dificuldades não são poucas, contudo, serão superadas trabalhando juntos. É um povo bom e amigo, é uma graça ter sido missionário nesse local e estou feliz por continuar a missão, agora como bispo”.
Segundo ele, que atualmente mora em Central Falls, nos Estados Unidos, as questões sociais e ecológicas que mais preocupam hoje são o desmatamento da floresta. Já no âmbito litúrgico, ele afirma existir poucos padres para a evangelização. “É preciso mais pessoas dispostas a assumir a missão, mas hoje o número é pequeno para isto”, comenta. 
Ao povo paraense, padre Teodoro diz: “A mensagem que eu deixo para todos é amiga e de um irmão, porque o bispo é chamado a ser um pai e um pastor de seu rebanho, mas também um amigo. Deixo também minha saudação fraterna e calorosa a todos, e também àqueles que não comungam com a nossa fé. Uma mensagem de esperança e confiança de que juntos iremos realizar a missão que o senhor nos confia, e estou feliz por fazer parte desta família arquidiocesana, e peço a bênção de Deus para todos e as orações de vocês para que eu possa realizar bem o trabalho. E que Deus abençoe copiosamente todos que nos acompanham e estão firmes na missão”.

 Sagração e Posse:
A sagração episcopal será no dia 8 de maio, em Cabo Verde, terra natal de padre Teodoro Tavares. O pedido para a celebração no país foi feito por ele. O Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, já confirmou presença.
A posse em Belém está marcada para o dia de Corpus Christi, 23 de junho. Nesse período de cerca de três meses, a partir da data de nomeação, o novo bispo auxiliar se prepara para se desligar das atividades pastorais. Padre Teodoro, há poucos meses, está radicado no instituto Immaculate Heart of Mary Rectory, no Estado de Rhode Island, Estados Unidos.
 Você confere isso e Muito mais no Jornal "Voz de Nazaré" avenda nas celebrações da paroquia são Lucas através do grupo dos coroinhas!

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Aniversario de Nossos coroinhas



   Fabianne - 17/02/1997

Nascida em 17 de fevereiro de 1997 na cidade de Ananindeua-pa, Fabianne Pereiara Mesquita, a "Fabi" como é chamada, ingressou no grupo dos coroinhas no ano de 2009. "Nasceu para servir ao Altar" foi essa a expressao usada por seu amigos e amigas que adiquiriu ao longo dos anos.


Com sua beleza e carisma, já defendeu varios grupos e pastorais no concurso rainha da festividade, inclusive o grupo dos coroinhas, e sempre ficou entre as primeiras colocadas, como no ano passado onde ficou em 2° lugar.

Fabianne se mostrou bastante inteligente e prestativa, ocupando cargo de secretaria do grupo por quase dois anos. Em prova de reconhecimento ela foi novamente convidada a ocupar o cargo na atual coordenação, tendo de regeitar por motivos pessoais.


  O grupo dos coroinhas te deseja um feliz aniversario e muitas Felicidades. Que você sempre continue essa pessoa maravilhosa que sempre foi!!!  PARABENS!

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Novo Bispo auxiliar da arquidiocese de Belem



 Pe. Teodoro Mendes Tavares

  BELÉM - Os fiéis da Igreja Católica em Belém agora podem contar com o apoio do novo bispo auxiliar da Arquidiocese de Belém. Africano, formado em Filosofia e Teologia, o padre Teodoro Mendes Tavares foi anunciado pelo Papa Bento XVI, às 8h da manhã desta segunda-feira (16), em Roma. Em Belém, a nomeação aconteceu meia-hora depois, em uma coletiva de imprensa na Cúria Metropolitana.

A solicitação de um bispo auxiliar pelo arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, foi feita em junho de 2010 ao Papa e foi aceita em setembro do mesmo ano pelo Santo Padre. No dia 1º de fevereiro Bento XVI escolheu o religioso que assumirá o cargo. Para o arcebispo, a experiência de Teodoro Tavares pode ter sido o fator chave na escolha. 'O currículo dele, a experiência amazônica, e mesmo a formação acadêmica dele deve ter contribuído para ser escolhido pelo Papa para assumir o cargo', comenta.

Entre as responsabilidades do novo bispo está a realização de crismas e a formação de pastorais. 'Ele vai exercer as mesmas funções do arcebispo. Não há diferenças. Ele vem para dividir as tarefas comigo. Assim que ele começar a atuar vamos sentar e ver o que cada um irá fazer daqui para frente', afirmou Taveira.

O novo bispo será ordenado no dia 8 de março na Ilha de Santiago, em Cabo Verde, na África, e deve começar a atuar na Arquidiocese de Belém no dia 23 de junho, dia de Corpus Christi. 'Esse é o tempo que o padre tem para se desligar das outras funções sacerdotais dele e começar a se dedicar exclusivamente à Arquidiocese', explica.

A Província de Belém, como a Igreja Católica denomina o conjunto de igrejas que fazem parte da Arquidiocese de Belém, conta hoje com 15 Dioceses, entre Pará e Amapá,  além da própria Arquidiocese, com sede em Belém. 'É uma área muito grande e estou feliz pelo Papa ter atendido ao meu pedido, pois assim poderemos cuidar melhor da nossa Província', concluiu o arcebispo.

Biografia
O padre Teodoro Mendes Tavares, de 47 anos, nasceu na Ilha de Santiago, em Cabo Verde, no dia 7 de janeiro de 1964. Ele ingressou na Congregação dos Missionários do Espírito Santo em 1984. No mesmo ano viajou para Portugal, a fim de continuar sua formação religiosa e acadêmica, para o ministério ordenado.

Em 1985, iniciou o noviciado e em 1986 fez a primeira profissão religiosa. A profissão perpétua veio em 1989. Antes, em 1986, Teodoro cursou Filosofia na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, em Braga. Logo após, em 1988, ele fez o curso de Teologia e Licenciatura em Lisboa.

O padre foi ordenado presbítero em Cabo Verde em 11 de julho de 1993 e em 1994 ele chegou pela primeira vez ao Brasil para exercer a Missão na Amazônia.

Conhecendo os grupos paroquiais de nossa regiao episcopal.

Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus

Região Episcopal: São Vicente de Paulo
Data de Criação: 30 / 09 / 1994
Endereço: Rua Fortaleza - nº 117 - Bairro: Águas Lindas - Ananindeua
Pároco: Francisco Monteiro Ferreira (Vulgo Padre Red)

O Grupo
O grupo de servidores do altar da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus foi criado no dia 24 de abril de 1999, pelo então seminarista Glaudemir, no período em que fez seu estágio pastoral na sobre dita Paróquia, e hoje mais estruturado conta com a atual coordenação:
Coordenador: Marcos Rodrigo 
Vice-coordenador: Vinicius Rafael 
Secretária: Claudia Brasil





Todo 1º sábado de cada mês é realizada pela parte da manhã um encontro de formação com todos grupos de Servidores do Altar (Matriz e Comunidades), e no 3° sábado de cada mês é  realizado um encontro com todos os coordenadores tanto da matriz como das comunidades, para a troca de experiências e planejamento. O Grupo da Matriz se reúne ordinariamente todos os sábado às 15h no salão paroquial.



quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Historia de nossa Arquidiocese

1º. DOM JOSÉ MARCONDES HOMEM DE MELO (1906)

Sacerdote paulista, Mons. José Marcondes Homem de Melo foi nomeado para primeiro Arcebispo da nova Arquidiocese. Foi sagrado em Roma, na capela do Colégio Pio Latino-americano, pelo Cardeal Merry del Val, em junho de 1906, tendo como consagrantes Dom Francisco do Rêgo Maia e Dom José de Camargo Barros, Bispo eleito de São Paulo. Ainda em Roma, tomou posse da Arquidiocese por procuração. Ao regressar ao Brasil, o navio "Sírio", em que viajava, naufragou na costa da Espanha, próximo ao Cabo de Palos, no dia 04 de agosto de 1906, perecendo o Bispo de São Paulo. Dom Marcondes foi salvo por um barco pesqueiro. De volta ao Brasil, renunciou ao governo da Arquidiocese de Belém.

2º. DOM SANTINO MARIA DA SILVA COUTINHO (1907-1923)
Com a renúncia de Dom Marcondes, foi nomeado para Belém o paraibano Dom Santino Maria Coutinho, que tinha sido eleito para o Maranhão. Foi sagrado no dia 19 de março de 1907, na capela do Colégio Pio Latino-americano, pelo Cardeal Joaquim Arcoverde. No seu governo, foram criadas diversas Prefeituras Apostólicas, elevadas mais tarde a Prelazias e Dioceses, como a do Alto Rio Negro, Alto Solimões e Tefé. Em 1911, promoveu a criação da Diocese de Conceição do Araguaia. Aprovou a fundação, por Dom Amando Bahlmann, de Santarém, da Congregação das Irmãs da Imaculada Conceição, em novembro de 1907. Recebeu, em abril de 1911, as Irmãs Franciscanas Missionárias de Mary Hill, que foram trabalhar em Óbidos, e, no mesmo ano, os Missionários da Sagrada Família, para trabalhar no Amapá. Em Belém, criou as paróquias de São Raimundo Nonato, São José de Queluz, São José de Castanhal e Igarapé-Açu. Restaurou as igrejas das Mercês e da Trindade. Fundou o jornal "A Palavra" e o "Centro Católico". Em julho de 1923, foi transferido para a recém criada Arquidiocese de Maceió. Faleceu em 1939.

3º. DOM JOÃO IRINEU JOFFLY (1924-1931)

Também paraibano como o seu antecessor, foi, antes de vir para Belém, Bispo Auxiliar em Recife e Diocesano em Manaus. Tomou posse em Belém no dia 23 de janeiro de 1925. No seu governo, reformou o cabido metropolitano, fechou o Seminário, regularizou as relações com a Santa Casa e procurou disciplinar o Círio de Nazaré, o que lhe causou sérios transtornos. Promoveu a criação das Prelazias do Marajó e Gurupi. Trouxe para a Arquidiocese os Padres Lazaristas e Salesianos e as Irmãs do Bom Pastor. Por esse tempo, os Irmãos Maristas deixaram o colégio Nossa Senhora do Carmo, e as Irmãs Filhas de Sant'ana fecharam o seu noviciado , transformando-o num colégio (Santa Rosa). Renunciou em 1931. Faleceu no Asilo São Luis, Rio de Janeiro, a 25 de abril de 1950.

4º. DOM ANTÔNIO DE ALMEIDA LUSTOSA (1932-1941)

Mineiro de São João-Del-Rei, o salesiano Dom Antônio de Almeida Lustosa chegou a Belém no dia 15 de dezembro de 1932, após ter sido Bispo em Uberaba e Corumbá. Foi sagrado no dia 11 de fevereiro de 1925. Aqui chegando, reabriu o Seminário Nossa Senhora da Conceição, confiando a sua administração aos padres salesianos. Percorreu todo o vasto território da Arquidiocese, anotando suas impressões e publicando-as no extinto jornal "A Palavra", mais tarde reunidas num volume com o título "À Margem da Visita Pastoral". De sua pena sairam ainda muitos outros livros, entre os quais uma preciosa biografia de "Dom Macedo Costa, Bispo do Pará". Criou as paróquias de Santa Teresinha do Menino Jesus (Jurunas), Santa Cruz (Marco), São João Batista (Icoaraci), São Francisco do Pará e São Jorge do Prata. Trouxe para Belém os Padres Crúzios e as Irmãs Filhas de Maria Auxiliadora, Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Capuchinhas, Angélicas de São Paulo e as Irmãs de Nossa Senhora da Anunciação. Em 1941, foi transferido para a Arquidiocese de Fortaleza, que governou até 1963. Ao renunciar, transferiu-se para o Instituto Salesiano de Carpina, PE, onde faleceu no dia 14 de agosto de 1974, cercado de veneração. A Arquidiocese de Fortaleza abriu, recentemente, o processo canônico para sua canonização.

5º. DOM JAIME DE BARROS CÂMARA (1942-1943)
O catarinense Jaime de Barros Câmara nasceu em 1894. Instalou a Diocese de Mossoró, RN, e foi o seu primeiro Bispo. Em 1941, foi transferido para Belém, tomando posse no dia 1º de janeiro do ano seguinte. Aqui não demorou muito, transferido em 1943 para a Arquidiocese do Rio de Janeiro, sendo mais tarde eleito Cardeal da Santa Igreja. Enquanto Arcebispo no Pará, promoveu a reforma completa dos estudos do Seminário, adquiriu o Colégio Progresso Paraense (atual colégio Santa Maria de Belém), a sede do Círculo Operário e o Seminário Ferial (atual Centro de Treinamento Tabor, em Icoaraci). Benzeu a Igreja de Nossa Senhora Aparecida, no bairro da Pedreira, e sagrou o Prelado de Marajó, Dom Gregório Alonso da Purificação, em 11 de julho de 1943, quatro dias após ter sabido da sua transferência para a capital federal. Já Cardeal, dizia ele de Belém: "Lembro-me com ternura da santa alegria demonstrada pelos hansenianos de Marituba e do Prata. As lágrimas me vêm aos olhos quando recordo a simplicidade e afeto com que me acolhiam os humildes caboclos nas visitas pastorais".

6º DOM MÁRIO DE MIRANDA VILAS-BOAS (1944-1956)
Gaúcho de Rio Grande, Dom Mário de Miranda Vilas-Boas nasceu no dia 04 de agosto de 1903. Estudou em Sergipe, terra de seus pais. Membro fundador da Academia Sergipana de Letras. Ainda muito novo, foi eleito e sagrado Bispo de Garanhuns. Sua primeira Carta Pastoral é considerado documento básico para o movimento litúrgico no Brasil. Foi Arcebispo de Belém de 05 de janeiro de 1945 a maio de 1957. Criou as paróquias de Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, São Pedro e São Paulo, São Judas Tadeu, todas em Belém, e São Francisco de Assis, em Nova Timboteua, e Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua. Promoveu a ereção das Prelazias de Macapá e Cametá. No seu governo, vieram para a Arquidiocese os Frades Franciscanos e os Padres Redentoristas, as Irmãs Dominicanas, as Irmãs do Preciosíssimo Sangue, as Irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo e as Irmãs Missionárias de Nossa Senhora das Graças. Mas o seu maior feito em Belém foi a celebração do 6º Congresso Eucarístico Nacional, em 1953, no local onde hoje é a Praça Kennedy. Foi um dos sagrantes de Dom Alberto Ramos, eleito Bispo do Amazonas. A pedido do Cardeal Arcebispo de Salvador, foi transferido para a capital baiana, como Arcebispo Coadjutor com direito à sucessão, situação à qual não se adaptou. Renunciou e foi transferido para a Arquidiocese de João Pessoa. Faleceu em Aracaju a 23 de fevereiro de 1968. Seus restos mortais foram trazidos para a Catedral de Belém, onde repousam.

7º. DOM ALBERTO GAUDÊNCIO RAMOS (1957-1990)
O paraense Dom Alberto Gaudêncio Ramos nasceu na capital do Estado, Belém, no dia 30 de março de 1915. Estudou nos Colégios Paes de Carvalho e Nossa Senhora de Nazaré. Cursou Filosofia e Teologia no Seminário da Prainha, em Fortaleza. Foi ordenado sacerdote na Catedral Metropolitana, por Dom Antônio de Almeida Lustosa, a 1º de outubro de 1939. Após a ordenação, o Arcebispo confiou-lhe a direção da "Obra das Vocações Sacerdotais". Foi Secretário de Dom Jaime Câmara e Vigário Geral de Dom Mário de Miranda Vilas-Boas. Aos 33 anos de idade, foi eleito Bispo do Amazonas, e, aos 36, Arcebispo de Manaus. A 09 de maio de 1957, foi nomeado Arcebispo de Belém, sendo o segundo paraense e o único belenense a ocupar o sólio arquiepiscopal de Belém. No seu governo, foram criadas as paróquias de São Francisco de Assis, Santo Antônio de Lisboa, Santo Antônio do Tauá, Santo Antônio de Pádua (Coqueiro), São Jorge da Marambaia, Cristo Rei (Ananindeua), Nossa Senhora de Nazaré (Magalhães Barata), Sagrado Coração de Jesus (Peixe-Boi), Jesus Ressuscitado, Nossa Senhora de Fátima (Belém), Menino Deus, São Sebastião (Belém), Nossa Senhora Aparecida, Santa Luzia, Nossa Senhora do Bom Remédio, Nossa Senhora Auxiliadora, São João Batista (Primavera), Nossa Senhora do Rosário (Colares). Foram restabelecidas as paróquias de São Vicente Ferrer (Inhangapi), Benfica, Benevides, Santarém Novo, Quatipuru. Foram construídos o Seminário São Pio X, o Centro de Treinamento Tabor, o Edifício Paulo VI (onde funcionam atualmente a Cúria Arquidiocesana e o Centro de Pastoral da Arquidiocese), a Casa da Juventude, o Centro Dom Lustosa e o Lar Sacerdotal, além de inúmeras casas e salões paroquiais. Reabriu o Seminário Maior, em 1981, com os cursos de Filosofia e Teologia, funcionando no Seminário São Pio X, em Ananindeua. Vieram para a Arquidiocese no seu período os Padres Xaverianos, os Oblatos de Maria Imaculada, os Joseleitos de Cristo e os Padres da Divina Providência, as Irmãs Franciscanas do Sagrado Coração, as Irmãs de Nossa Senhora Menina, as Missionárias de Jesus Crucificado, as Missionárias da Imaculada Conceição, as Irmãs Salesianas dos Sagrados Corações, as Irmãs Missionárias Agostinianas, as Irmãs Missionárias de Santa Teresinha, as Irmãs de Maria Imaculada, as Irmãs Dorotéias dos Sagrados Corações, as Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração e as Irmãs Franciscanas de São José. Foi co-fundador da Congregação das Missionárias do Coração Eucarístico. Teve como Bispos Auxiliares Dom Milton Corrêia Pereira (depois Bispo de Garanhuns e Manaus), Dom Alano Maria Pena (depois Bispo de Marabá, atualmente em Nova Friburgo, RJ) e Dom Tadeu Henrique Prost (falecido em 02.08.94, Chicago), e como Arcebispo Coadjutor com direito à sucessão Dom Vicente Joaquim Zico. Era membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará e do Conselho Estadual de Cultura. Dom Alberto Ramos renunciou ao governo pastoral da Arquidiocese de Belém no dia 04 de julho de 1990, passando a residir numa casa que lhe foi preparada na Rua Aristides Lôbo. Com a saúde abalada, internou-se no Hospital da Venerável Ordem Terceira, onde veio a falecer no dia 26 de novembro de 1991. Seu corpo foi velado na Basílica de Nazaré e, no dia seguinte, trasladado para a Catedral Metropolitana, onde foi sepultado no lado direito do altar de Nossa Senhora das Graças, como era seu desejo.

8º. DOM VICENTE JOAQUIM ZICO (1990-2004)
Dom Vicente Joaquim Zico, nasceu na cidade mineira de Luz, no dia 27 de janeiro de 1927, quinto filho do casal Belchior Joaquim Zico e Anita Maria de Jesus. Lazarista, entrou na Congregação da Missão no dia 02 de fevereiro de 1943, fazendo profissão religiosa em 19 de março de 1945. Estudou no Seminário do Caraça, MG, e Petropolis, RJ. Foi ordenado sacerdote em 1950, a 22 de outubro, por Dom Jorge Marcos de Oliveira. Cursou o Instituto Superior de Pastoral Catequética, em Paris, França. Formou-se em Filosofia e Psicologia. Antes do episcopado, foi Professor na Escola Apostólica, Professor, Prefeito de Disciplina, Diretor Espiritual e Reitor do Seminário Maior da Prainha, em Fortaleza, Professor do Seminário de São Luiz do Maranhão e do Seminário da Congregação, em Petrópolis, Assistente Provincial e Secretário da Província Brasileira da Congregação da Missão. Era Conselheiro Geral da Congregação, em Roma, quando foi designado pelo Papa João Paulo II para Arcebispo Coadjutor de Belém, no dia 05 de dezembro de 1980. Foi sagrado Bispo na Basílica de São Pedro, no dia 06 de janeiro de 1981, pelo próprio Papa. Tomou posse em Belém, na Catedral, no dia 08 de março do mesmo ano. Por 8 anos, foi o Bispo Responsável pela Dimensão Missionária da CNBB. Foi Presidente do Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e conselheiro da Pontifícia comissão para a América Latina. Tem sua renúncia aceita no dia 13 de outubro de 2004, quando o Santo Papa João Paulo II nomeou o seu substituto que tomou posse no dia 8 de dezembro de 2004.

9º. DOM ORANI JOÃO TEMPESTA (2004-2009)
Como padre e monge cisterciense, Dom Orani João Tempesta passou a maior parte de sua vida na cidade paulista de São José do Rio Pardo, onde nasceu em 23 de junho de 1950. Filho de Achiles Tempesta e Maria de Oliveira, já falecidos, é o caçula entre nove irmãos. O desejo pela unidade sempre foi vertente em sua caminhada eclesial, chegando a adotá-la como lema episcopal "Que todos sejam um" ao ser eleito bispo pelo Papa João Paulo II, em 26 de fevereiro de 1997.

Foi o terceiro bispo da Diocese de São José do Rio Preto, no Estado de São Paulo, governando de 1º de maio de 1997 até 13 de outubro de 2004, quando foi eleito para a Arquidiocese de Belém, no Estado do Pará, assumindo seu ministério em 8 de dezembro do mesmo ano.

Ainda como Bispo de São José do Rio Preto, recebeu a missão de Administrador da Abadia Territorial de Clavaral, pertencente à Ordem Cisterciense de Casamari, em Claraval – MG, de 22 de maio de 1999 a 11 de dezembro de 2002.

Entre suas inúmeras iniciativas à frente da Igreja Particular de São José do Rio Preto, composta por 87 comunidades paroquiais, mais de 100 presbíteros e quase 1 milhão de fiéis, Dom Orani aprovou dois Planos de Pastorais com projetos que revolucionaram a caminhada da diocese como a Rede de Comunidades, o mutirão de evangelização de casa em casa. Com a finalidade de preparar presbíteros, religiosos e leigos para a ação pastoral, implantou um programa permanente de formação, como cursos, retiros e reciclagem. Em 1998, teve início o curso de Teologia, especialmente para os leigos. Em resposta às várias necessidades da diocese, criou várias pastorais, entre as quais: a dos Políticos, dos Empresários, do Menor, da Mulher Marginalizada, da Esperança e Exéquias, da Educação e Ensino Religioso, dos Casais de Segunda União, a Político Social e de Comunicação. No ano 2000, instalou a Comissão Diocesana de Bens Culturais da Igreja e criou a Comissão de Justiça e Paz, como organismo diocesano para promover e lutar em favor dos direitos humanos a partir da perspectiva ética do Evangelho. Depois de um longo tempo de preparação instalou na diocese o Diaconato Permanente e um Tribunal Eclesiástico de Primeira Instância.

A criação recorde da Diocese de Catanduva, ocorrida no dia 9 de fevereiro de 2000, deve-se em grande parte ao empenho de Dom Orani que, além de autorizar o início do processo, levou-o pessoalmente ao Vaticano. Pelo seu carisma especial de comunicador, coordenou de 1998 a 2003 o Setor de Comunicação do Regional Sul 1 (Dioceses paulistas). Exerceu a missão de Visitador Apostólico do Mosteiro de São Bento, em Olinda – PE de 2001 a 2002.

Em 2004, conquistou do Governo Federal o funcionamento de uma rádio interativa de freqüência modulada. Entre os eventos diocesanos que convocou, podemos lembrar: os 70 anos da diocese, o envio de oito mil evangelizadores para o mutirão de Evangelização de casa em casa, o Terceiro Congresso Eucarístico, as celebrações do Ano Santo Jubilar, os 150 anos de fundação da cidade de São José do Rio Preto e as comemorações do Centenário da Coroação de Nossa Senhora Aparecida. Como bispo, ordenou 30 novos presbíteros e criou 27 comunidades paroquiais, entre paróquias, quase-paróquias, reitorias, santuários diocesanos e uma do Rito Maronita. É cidadão honorário das cidades paulistas de São José do Rio Preto, Catanduva, Tanabi, Mirassolândia e Bálsamo. Desde 8 de maio de 2003 faz parte do Conselho Episcopal de Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, exercendo o cargo de presidente nacional da Comissão Episcopal para a Cultura, Educação e Comunicação Social; e também do Conselho Superior da Redevida de Televisão e do Conselho de Comunicação do Senado Federal.

Em 13 de outubro de 2004 é eleito arcebispo metropolitano de Belém–PA, tomou posse em 8 de dezembro de 2004, recebendo assim o cargo de Presidente da Fundação Nazaré de Comunicação em Belém(PA) e Presidente do Centro de Cultura e Formação Cristã em Ananindeua (PA). Em maio de 2007 foi eleito Delegado pela CNBB para a Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho, realizado em Aparecida (SP).

Em 27 de fevereiro de 2009 é eleito Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e permanece Administrador da Arquidiocese de Belém até o dia 19 de abril de 2009, onde toma posse na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro.

10º. DOM ALBERTO TAVEIRA CORRÊA


É mineiro de Nova Lima. Ele nasceu em 26 de maio de 1950. Seus estudos filosóficos e teológicos foram feitos no Seminário Coração Eucarístico de Jesus e PUC-MINAS, em Belo Horizonte (MG). Além desses, ele estudou Espiritualidade Sacerdotal, no Instituto Mystici Corporis – Fascati, em Roma. Sua ordenação episcopal aconteceu em sua terra natal, no dia 06 de julho de 1991. Ele está à frente da arquidiocese de Palmas desde 31 de maio de 1996. Como bispo, ele já foi auxiliar da arquidiocese de Brasília (DF) [1991 – 1996]; vice-presidente do Conselho Administrativo da Fundação Popularum Progressio; assistente nacional da Renovação Carismática Católica [1994 – 2000]; membor da Comissão Episcopal do DEVYM/Celam [1995 – 1999]; presidente do Regional Centro-Oste [2003 – 2007]; e delegado da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe, em 2007.

No dia 30 de Dezembro de 2009, o Santo Padre o Papa Bento XVI nomeou Dom Alberto Taveira arcebispo metropolitano de Santa Maria de Belém do Grão-Pará, em substituição a Dom Orani João Tempesta transferido para a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro em abril do mesmo ano. Sua mudança para a capital paraense acontecerá no dia 23 de março e, no dia 25, quando a Igreja celebra a anunciação do nascimento de Jesus, será realizada a cerimônia de posse. Seu lema episcopal é “Para a Vida do Mundo”
 FONTE: BLOG ARQUIDIOCESANO DOS SERVIDORES DO ALTAR
VEM AI:
Nota Rápida
 O blog de noticias da paroquia  São Lucas